Vivo

Ao empregar o termo “bolchevismo”, o místico não tem em mente o partido político fundado por Lenin. São-lhe inteiramente desconhecidas as controvérsias sociológicas ocorridas na passagem do século. As palavras “comunista”, “bolchevique”, “vermelho”, etc. tornaram-se lemas reacionários que nada têm a ver com a política, o partido, a economia, etc. Estas palavras são tão irracionais como a palavra “judeu” na boca de um fascista. Elas exprimem a atitude anti-sexual relacionada com a estrutura mística reacionária do homem autoritário. Assim, Roosevelt é rotulado como “judeu” e “Vermelho” pelos fascistas. O conteúdo irracional desses lemas refere-se sempre ao que está sexualmente vivo, mesmo que o indivíduo rotulado esteja muito longe de aprovar, por exemplo, a sexualidade dos adolescentes e das crianças. Os comunistas russos estavam mais longe de aceitar a vida sexual do que muitos americanos da classe média. Assim, torna-se necessário compreender o caráter irracional dos lemas, se pretendemos combater o misticismo, que é a origem de toda a reação política. Sempre que, a seguir, aparecer a palavra “bolchevismo”, devemos pensar também em “ansiedade orgástica”.


Wilhelm Reich; Psicologia de Massas do Fascismo

Share

,,

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CAPTCHA * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.