Rei sem castelo

Se eu pensar que o ambiente que me envolve não é nada para além de uma coisa à espera de ser optimizada, então porque não hei de construir um grande hotel no centro da cidade, fazer muito dinheiro, trazer as pessoas para tirar partido desse lugar. No entanto, precisamos ainda cultivar a ideia de que existe algo que é independente da nossa vontade, precisamos desenvolver e cultivar essa sensibilidade. Acho que é isso que um poeta faz. O poeta incorpora o paradigma da pessoa que aprendeu a ser receptiva às coisas que lhe são independentes. Podemos todos aprender a cultivar essa receptividade. Não precisamos ser poetas ou artistas. Podemos ser cozinheiros, carpinteiros ou futebolistas. A vida tem mais significado quando aprendemos a responder às coisas que são independentes de nós. Este é um ponto que nos leva ao encontro de Kierkegaard; quando pensamos que todo o significado emana de nós então somos um Rei sem castelo, somos o soberano na terra do nada. Precisamos dessa força antagónica, que exerce significado sobre o significado próprio, de outro modo vivemos num mundo em que nada tem realmente importância.

Por outro lado, se pensarmos na forma como Miichelangelo viu David numa pedra de mármore. Existia a possibilidade de David e ele deu-lhe vida. É um pouco misterioso falar disto mas qualquer pessoa que se torna mestre de uma qualquer arte tem algum sentido para o que significa materializar algo que nunca antes tinha sido perspectivado como tal. A realidade é inesgotável. Existe esta fonte misteriosa que continua a emprestar significado à humanidade, podemos chamar-lhe Deus, se formos religiosos, no sentido literal do termo, a noção de que tudo está interligado….

Share

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CAPTCHA * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.